" Se não houver frutos, valeu a beleza das flores;
se não houver flores, valeu a sombra das folhas;
se não houver folhas, valeu a intenção da semente"
Henfil

terça-feira, 16 de dezembro de 2008

Adeus às Árvores

Este domingo, entre períodos de chuva e algumas abertas, fomos para a outra casa, para trazer o resto das coisas que lá tinhamos deixado. Já lá não ia há algum tempo, aliás, nem me apetecia voltar lá, mas tinha mesmo que ser. A minha preocupação foi com plantas que ainda estavam no jardim, que tinham que ser retiradas ou ficaria sem elas. 

Algumas, de tão grandes que estão, tiveram que ficar, com muita pena minha, mas não havia hipótese de trazê-las comigo.

Entre elas está um Ficus benjamina, comprado há quase 20 anos num vasinho pequenino e que hoje é uma árvore de mais de três metros de altura. Tendo sofrido várias queimaduras da geada, onde perdeu a folhagem e parte dos troncos, agora está alto e majestojo, e parece-me que muito resistente (para a geada chegar ao tronco tem muita folhagem que percorrer). Este ano pela primeira vez vi as suas sementes, umas pequenas bolinhas verdes que até então não  tinha dado.

Uma outra é um lava-garrafas (não me lembro do nome), que também comprei pequenino, que se secou a parte áerea, que pensei que tinha secado completamente, mas que voltou a brotar. Pouco tempo depois já era de novo um arbusto com ganas de ser árvore. Resolvi  que ficava muito bonito com os ramos entrançados, e a pouco e pouco lá foi ganhando o jeito de uma trança. Hoje é uma árvore de aprox. 2,5m de altura com um trança de menina.

O meu damasqueiro também lá ficou. Árvore mais recente, ganhou grande porte muito rapidamente, tendo nos oferecido belissimos damascos e apoio para os "meus" pintassilgos pousarem e cantarem as suas belas melodias. 

E o Jasmim, e os Hibiscus, a Tetrapanax, a Brugmansia branca dobrada, a Bouganvilea, uma parreira que tinha sido plantada para fazer sombra....enfim, foi o adeus. 

Trouxe a pereira e a cerejeira, árvores novas, que espero que peguem, trouxe uma Poinsétia (flor do Natal), alguns cactos e suculentas, algumas estacas que espero que peguem, e uma trepadeira que penso chamar-se Campsis e uma pequena árvore de Lúcia-Lima.

Só espero que os seus futuros donos lhes saibam dar valor e as tratem tão bem como nós o fizemos.  As "minhas" árvores merecem!

7 comentários:

ameixa seca disse...

É muito triste deixar os companheiros para trás. Oxalá os novos donos tenham sensibilidade para tratar bem deles! Há-de tudo correr bem :)

Espaço do João disse...

Bem.
Quewrida Cris, julgo que te estás a referir aos epiastros quando pedes um bolbito. Pois bem, enviarte-eimas nesta altura não é propíciapois estão todos a florir. Tambémcomo mudas-te de casa, envia-me por E-mail a tua nova morada,pois não reparei no envelope nem tomei apontamento dela. Tenho que agendar as várias direcções ,coisa que como infornabo ainda nõ realizei Quanto ás coroas de natal,não foi a época propícia , os galhos a meter na terra ( estacas ) devem ser quando não estão em flor.Nesta altura vertem muita seiva e normalmente morrem. No entanto há uma maneira de estancar a seiva, consiste em mergulhar cerca de um cm em água a ferver e retirar imediatamente. Depois mete-se na terra tendo o cuidado de não as fazer passar qualquer sede. Um beijo João. PS. darte-ei mais dicas, agora voufazer ÓÓÓ.

Florescer disse...

Pode ser que de futuro consigas essas e muito mais... e que os futuros donos sejam tão carinhosos com elas como elas merecem...
Cada vez mais acredito que toda a nossa vida é composta por fases que nos fazem ver as coisas de maneiras diferentes...
É assim que nos formamos, que crescemos...
Maaaaasssss...
Agora que já estás instalada no teu novo castelo... aproveita para recuperar tempo perdido e ideias novas...
Também precisas!!!
Teus narcisos... têm um cheirinho que se eu pudesse enviava a todos aqueles que adoram a natureza...
Beijokassssss.

Cris Bolbosa disse...

Ameixa, principalmente quando cada uma delas tem uma história, um passado entrelançado com o nosso. E é isso que me entristece mais.

João, sim, é desse Hippeastrum que puseste no post, com flores vermelhas, é esse mesmo!
Eu depois envio-te um email.
Claro que agora não é altura, tu saberás quando for;)
A Poinsétia (coroa de natal), já é bastante grande, filha de uma outra que é uma árvore linda, que pertence a uma vizinha. Para não a deixar na outra casa, tirei-a da terra e voltei a plantá.la no mesmo dia. Sei que agora não é boa altura, mas posso ter alguma esperança de que pegue?
A terra está húmida, a planta está murcha(como calculava), mas não estou segura se as raizes irão suportar a mudança:(

Florescer, é tão bom quando somos crianças, não é? Tudo é tão fácil, tão cor-de-rosa...
Estas fases da vida ensinam-nos muito, e aprendemos a ver as coisas de outra forma. Hoje encaro as coisas completamente diferente de há uns anos atrás.
Por aqui ainda está tudo muito no inicio, há muito por fazer e o tempo é pouco, e quando há um pouquito mais de tempo, chove, eheh. Mas havemos de conseguir orientar as coisas da melhor forma.
Acho que consigo sentir aqui o cheiro dos narcisos. Os meus foram plantados muito tarde e ainda não deram flor, mas lembro-me do ano passado. Que cheirinho bom...

Maca disse...

Mira polo lado positivo:
As túas queridas árbores ficaron alí para lembrar unha parte de tí na túa antiga casa,
Beijos

Jardineira aprendiz disse...

Concordo com a Maca - não penses mais nisso! Vais ver que as tuas plantas ainda vão converter alguém ao gosto pela jardinagem! Já valeu a pena, não foi? ;)

Cris Bolbosa disse...

Maca, pudemos pensar asi, es una otra forma de ver las cosas. Y yo tengo que aprender a ver la cosas de forma positiva, iso que tengo;)

Jardineira, se quem para lá for cuidar bem delas, já fico muito satisfeita. Se se converter à jardinagem, muito melhor;) Terá valido a pena:)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...