" Se não houver frutos, valeu a beleza das flores;
se não houver flores, valeu a sombra das folhas;
se não houver folhas, valeu a intenção da semente"
Henfil

terça-feira, 14 de outubro de 2008

Precoce


Hoje à tarde, depois de chegar do trabalho, depois de largar a mala e o casaco, depois de calçar os chinelos, depois de comer um fruta...fui fazer a visita habitual às minhas plantas. Embora hoje tenha estado um pouco triste por motivos que agora não interessam, apesar de estar com o sentimento de que esta minha paixão pelas plantas se estava a desvanecer, não por deixar de gostar delas, mas mais por não poder ter as condições ideais para as cultivar,muito embora tudo isto, depois de um dia de trabalho venho encontrar algo que me deu de novo alento, que me disse que "parar NÂO!", mas sim continuar. Sim, continuar porque vale a pena! Mesmo com poucas condições, mesmo com uma estufa do tamanho de um ovo, mesmo sem um jardim, o esforço vale a pena e vemos os seus resultados. Até parece que é mais vitorioso ainda ver que, apesar dos contratempos, a vida continua e conseguem-se ultrapassar os obstáculos. Foi isso que esta planta hoje me ensinou!

No meio de toda a folhagem, ainda muito pequena, descobri este pequeno botão floral.

É um Habranthus robustus, pode-se dizer que é um "primo" das minhas queridas Zephyranthes.

Não esperava pela flor tão cedo, tinha a ideia de que só floresciam no segundo ano, mas este aqui fugiu à regra. E que feliz eu fiquei com esta excepção.

8 comentários:

Dama do Lago disse...

O pequenote veio despachado para chegar a tempo e horas de te dar essa aula ;)!! Bjs

Cris Bolbosa disse...

Pois é, nunca pensei que desse flor tão cedo!
Mas foi mesmo uma lição: atravessar o oceano atlântico, ser semeado num ambiente completamente diferente do seu, e chegar onde está a chegar, é concerteza um vencedor!

buedamau disse...

e para mais são lindos! suponho que devam cheirar divinalmente também, não?
os escapes das flores anuais são mesmo fazedores-de-felicidade, conseguem sempre acelerar o nosso ritmo cardíaco, não achas?!

Cris Bolbosa disse...

Ainda não sei, a flor ainda não abriu. E è a primeira vez que vou ver um Habranthus ao vivo e a cores. Por isso estou super ansiosa! Penso que este fim de semana já terá a flor aberta;)
E as plantas são mesmo fazedores-de-felicidade. Quando vejo uma nova planta em flor, que espero há muito tempo, o sentimento é igual ao de quando era criança ao abrir as prendas de Natal. Já reparaste como as coisas mais simples são as mais importantes? Somente uma flor e parece que ganhámos o mundo;)

Maca disse...

así cerrado parecíame un crocus,á natureza nunca se dá por vencida.
Un beijo moy grande

Cris Bolbosa disse...

Maca, y ahora es la época de los crocus, son tan pequenos y fragiles, pero tan belos.
Por ahí tambien tienes crocus?
Un beso

anete joaquim disse...

Mais do que da flor, gostei das palavras com que descreves o efeito que elas te provocam. Entendo!
Espero que a vida te corra mais suave. Um beijão.

Cris Bolbosa disse...

Anete, obrigada. às vezes é tão dificil seguir em frente, eu sei que tu tambem sabes como é. Mas lá vem um alerta daqui outrodali a dizer-nos para não pararmos. E muito a custo, lá vamos indo. Eu também espero que as coisas te corram melhor, aliás, do melhor;)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...